Facebook Instagram Twitter Tumblr Youtube

Todos os posts sobre GIF Dica
Por Daniel em 7 de dezembro de 2016
1 comentário  |  Loading Ler mais tarde

Ousadia, uma definição que ainda é difícil de entrar na cabeça de muitos. Quer saber por quê? Infelizmente os meninos não são tão desenrolados como as meninas na hora de ousar em um look.  Às vezes o receio ainda fala mais alto, levante a mão quem se veste diferente e ainda não foi encarado de maneira estranha na rua por causa do que está usando? Usar o que se deseja não é uma tarefa fácil, mas que deve sim, ser realizada. Aqui no blog já passamos o Manual de Estilo do Garoto in Foco, já mostramos inspirações para compor a partir das principais tendências e muitas outras dicas, mas percebo que não é uma tarefa fácil para vocês. É normal sentir um bloqueio de criatividade ou ficar preso por não saber por onde começar, pois não se trata de um dia comprar uma jaqueta de paetê e pronto, você já está sendo ousado/estiloso. Tudo isso é um processo lento e de autoconhecimento. Você precisa primeiro se conhecer para ter a certeza do que realmente deseja ter dentro do seu guarda-roupa e principalmente daquilo que vestirá seu corpo.

Mas se você quer ousadia e pretende dar o primeiro passo, por que não começar pelo preto? Uma das cores mais básicas da cartela de cores, roupas nessa cor passam a mensagem de sofisticação e elegância sem precisar de muita produção. Por isso, nós, modelos, sempre optamos por looks all black para ir aos castings (algo que estou deixando aos poucos), pois você nunca erra. O que quero propor no post de hoje não é optar por looks All Black, mas usar uma peça diferente nesta cor tão básica. Na hora de escolher você não deve se deixar levar somente pela cor, procure peças com detalhes a mais, com uma estampa por cima, spikes, brilhos, patches ou mesmo uma modelagem diferente. Não precisa ser algo chamativo, apenas que saia da linha do básico. Nas inspirações que separei, resolvi unir um pouco das peças pretas que considero diferentes e que não se enquadram no quesito simplicidade, são elas jaquetas, calça, jardineira, camisa e boné.

streetwear1

Como o preto é uma cor mais fácil de se usar, você não terá problema na hora da escolha, por exemplo é muito mais fácil optar por uma jardineira preta ao invés de uma jeans que irá chamar mais a atenção, mesmo sendo jeans. E quanto a peças de padronagens diferentes, geralmente são elas que dão uma melhorada no look, tirando ele da linha do básico para algo mais produzido.

Outra dica valiosa é inverter a ordem da primeira e optar por combinar peças ousadas com pretas básicas. Mesmo que seja uma calça de brim você notará a diferença se combinada com outro modelo de calça. Para começar escolha apenas uma peça diferente, para que dê tempo de se acostumar a ela. Quando você perceber estará querendo muitas outras. Porém, lembre-se: não se limite apenas ao preto, pois é uma cor viciante. Use apenas como um primeiro passo e aos poucos vá aderindo a outras peças diferenciadas. O segredo disso tudo é ir evoluindo lentamente para não causar de imediato um choque em si mesmo e nesse processo você vai evoluindo e adquirindo o famoso estilo pessoal.

streetwear2

Bom, essa foi uma dica que usei logo quando decidi ousar mais e acabou sendo um processo bacana, pois aos poucos fui aderindo a novos estilos. A peça preta ainda é padrão no meu guarda-roupa, mas aos poucos vou deixando ela de lado para montar looks com uma pegada diferenciada. Por mais que um modelo opte pelo preto ou em eventos noturnos as pessoas gostem dessa cor, você não precisa seguir uma regra. Ouse cada vez mais e assim estará não apenas se conhecendo melhor, mas também se sentindo uma nova pessoa.

Abraços!

“Nada importava até a manhã em que fiquei na frente do meu armário e pensei sobre o que eu ia usar”. A frase citada é de David Granger, editor-chefe da revista Esquire e autor de um livro sobre estilo masculino – Guia Para Homens de Boa Aparência. Bom, o objetivo deste post não é falar sobre o seu guia, mas refletir um pouco sobre a frase citada. Quantos de nós já ficamos horas em frente ao guarda-roupa nos perguntando que roupa usar? Por mais que a escolha fosse simples, bastava escolher uma calça e camisa, você saberia que no fundo não era só isso que queria, não é mesmo? Sentindo a necessidade de ir além, de mostrar algo a mais naquele look, fosse uma personalidade escondida por dentro da timidez ou um ótimo bom gosto para combinação, que não se mostrava através daquela farda de trabalho.
Aqui no blog já foi mencionado por várias vezes que suas roupas lhe definem sim, e que através delas você pode mostrar o melhor de si mesmo. O nome disso vocês já sabem: identidade pessoal, atitude essa que foi a mais forte tendência de 2016, onde o mundo da moda resolveu quebrar os velhos padrões de combinações e regras para dizer ao público “seja você mesmo e use o que você deseja, mesmo que os outros não gostem, porque se você tem que ser autêntico a alguém, seja a si próprio”. Mas como mostrar meu estilo pessoal se nem eu mesmo sei quem sou realmente? Essa jornada rumo a você mesmo não é uma tarefa fácil. Confesso que estou nela há tempos e ainda continuo descobrindo coisas sobre mim mesmo e isso vai refletindo no meu modo de vestir. Quanto ao resultado, acabei percebendo que meu estilo pessoal não veio apenas com o blog, mas desde a infância, quando sempre optava pelo incomum, pelo diferente e que mais tarde isso refletiu no meu estilo. Não que eu me ache o “diferentão do Ceará”, mas sei que estou longe de usar aquilo que as pessoas consideram convencional, até porque quem usa casacos ou determinadas peças de sobreposição em pleno calor do Nordeste?
A cada post onde comentava sobre identidade pessoal, tinha como intuito que vocês passassem pelo mesmo que eu e através disso descobrissem o que poderiam fazer com seu estilo pessoal. Mas como disse anteriormente, não é uma tarefa fácil, por isso resolvi tentar ajudar, mostrando como funciona a maneira como me visto ou dizendo como é construída a identidade Garoto in Foco.
manual-garoto-in-foco2
Gosto de pegar o clássico e modificar, de pegar o fashion e deixá-lo mais fácil. Meu estilo é quando vejo um look que me agrada nas redes sociais e acrescento algo de maneira a diferenciá-lo, mas sem me preocupar com um estilo definido, como pegar uma calça de moletom e combinar com blazer e um boné aba reta, mas ao invés de tênis optar por uma Chelsea Boots. Percebem o quanto de peças opostas utilizei no mesmo look? Porém nem sempre são várias peças, pode ser apenas uma para quebrar o estilo convencional e dar aquela diferenciada, mas isso quem define é você. E quando uma longline é de paetê e combinamos com um look all black para dar aquele destaque? Não mesmo, pegue sua calça bike, junte com sneakers azul e jaqueta cropped verde esmeralda e combine com ela. Parece confuso falando assim, não é? Mas o resultado foi esse da foto que estão vendo. Ficou bacana, né? Uma das regras para o Estilo Garoto in Foco é não se limitar na hora de combinar, o céu é o limite para você.

manual-garoto-in-foco1
manual-garoto-in-foco3
manual-garoto-in-foco5
manual-garoto-in-foco6

O mais interessante é que através desse post sua mente possa ser aberta para a liberdade de criar seu próprio estilo. Porém, caso isso não aconteça, é pra isso que temos o “Inspire-se” aqui do blog, para ajudá-los a compor um look bem ao meu estilo, porque o Garoto in Foco não se resume só a mim, mas a todos aqueles que querem ser diferentes. A maior regra é a liberdade. Pense nisso.

Abraços!

 

Por Daniel em 24 de novembro de 2014
0 Comentários  |  Loading Ler mais tarde
Estou na carreira de modelo há 3 anos. Parece muito, mas para mim e para o mundo da moda isso ainda nem é o começo. Experiência tenho pouca, mas conhecimento, isso eu tenho de sobra. A cada nova informação percebo o quão grande e oculto é esse universo, afinal encontrar informações relacionadas ao meio ainda é algo não muito fácil. Se essa foi a profissão que escolhi exercer preciso saber todas as táticas para entrar em campo, pois o mercado de trabalho é como um jogo onde cada um tem que marcar seu gol da vitória. Confesso que, por mais que tenha pouca experiência, tenho um conhecimento gigantesco sobre o mundo dos modelos e ressalto que nem precisei sair do meu estado para aprender: isso é resultado de muita pesquisa, conversa com colegas de trabalho e a outra parte aprendi quebrando a cara.
livro5
Pois bem, no meio de minhas pesquisas acabei sabendo que uma modelo chamada Michelli Provensi havia escrito sua história de modelagem e narrado sobre os países onde morou. No início isso me alimentou uma curiosidade e uma grande vontade de saber um pouco sobre tudo. Poderia ter comprado o livro de cara, porém achei melhor pesquisar um pouco mais sobre a moça e, a cada nova pesquisa ou entrevista que ela dava, só aumentava minha vontade de adquirir o livro, mas na minha cidade só daria pra conseguir pela internet e não tenho paciência para compras pela web. Minha vontade acabou sendo mais forte que a falta de paciência e acabei comprando assim mesmo, e não me arrependi em nenhum minuto. Sou o tipo de pessoa que ama ler, mas não são todos os livros que prendem minha atenção, porém devo parabenizar Micheli, pois ela conseguiu esse efeito em mim de uma maneira que acabei lendo o livro inteiro num só dia para dias depois chegar a ler mais três vezes e ainda ficar com aquela vontade de uma continuação. O livro não é longo e sua linguagem e bem descolada, sem muita formalidade.
livro2
Micheli mostra no livro como a vida de modelo pode ser cruel e ao mesmo tempo prazerosa, e como conseguiu sobreviver nessa selva. Com elas aprendemos que para um modelo virar top não depende apenas de sorte; existe um duro trabalho em cima disso. Considero-me uma pessoa bem informada sobre o mundo dos modelos, mas seu livro mostrou que ainda não sei de muita coisa, pois ela viajou muito e a cada país há uma nova regra e um novo jeito de trabalhar que só vai saber quem passar por isso. Poderia fazer um texto imenso falando o quanto o livro dela é ótimo e tentar convencê-los a comprar, mas achei melhor mostrar alguns trechos, assim vocês ficam ainda com mais vontade de adquiri-lo.
livro7 livro6 livro4 livro3
Para o lançamento do livro Micheli fez um hit que virou febre entre a modelada e com isso conseguiu atingir seu público. Hoje ela está morando em São Paulo e pronta para a próxima viagem que aparecer. Se algum dia chegar a São Paulo quero muito poder encontrá-la para bater um papo de modelo para modelo, afinal sua história em alguns pontos me lembrou a minha história. E junto com os seus fãs estou na torcida por duas coisas: uma delas é que ela escreva ao menos mais quatro livros dessa saga de modelo e a outra é que ela consiga fazer mais viagens e chegar cada vez mais longe, pois seu esforço foi enorme e a moça merece mesmo estar no posto de top model.

 

 

Abraços!

Sabe quando a internet não é o suficiente em questão de pesquisa e sua agência não mostra tudo que tinha de mostrar para que você possa ter uma melhor visão do mundo da moda? Pois é sei exatamente como você sente e creia numa coisa; não importa o quanto sua agência lhe ensine, os amigos ajudem, você leia livros, ou pesquise na internet. Existem perrengues e situações que o modelo só aprende passando, por que esse mundo é sempre uma caixinha de surpresa, porém existem coisas que você pode aprender num reality.
Isso mesmo existe um reality show de modelos, alguns de vocês já ate devem ter ouvido falar outros porém assim como eu sabe da existência porém nunca tinha ido atrás, até um certo dia que resolvi assistir e adivinhem? Virou meu vicio!

Diferente das tentativas frustantes de reality de modelo que rolaram por aqui no Brasil o American Next Top Model já chegou ao seu ciclo 20( ciclo é a mesma coisa que temporada), o reality não é fraco e a cada ciclo eles lidam com uma situação diferente, tem ciclo somente com modelos baixos, ou com meninas de faculdade e cada ciclo eles mostra como elas podem se adaptar melhor no mercado, no ciclo 20 e a batalha de homens e mulheres, é sempre indicado assistir com papel e caneta pois muitas dicas não são somente para modelos femininas e sim para nos marmanjos.

Minha primeira experiencia foi com o ciclo 19 onde as meninas que cursam faculdade tem a chance de entrar na vida de modelo, e devo admitir que cada prova é de tirar o folego. O mais interessante que eles mostram a verdadeira face das modelos sem esconder nada, dentro da casa tem modelos que sofre distúrbios alimentares(que eles não apoiam), que se finge de amiga de todas, que é excluída por todas, que sente dificuldade em se adaptar com a vida e por ai vai.
Quando ciclo acabou eu não aguentei somente em assistir e acabei querendo saber a vida delas depois do reality e ver seus trabalhos, foi ai que descobri o blog oficial brasileiro e foi lá que pude baixar vários ciclos legendado. E o mais legal do blog é que mostra os trabalhos que as modelos participantes fazem depois que saem da competição.
Confira o blog Aqui e aproveitem para baixar todos os episódios e ficarem por dentro de tudo.

Bom Aprendizado!
Abraços!