Se você fosse um estilista, que tema você criaria para a sua coleção? Muitos são os designers que buscam inspirações nos lugares mais inusitados para fazer seu trabalho. A cada temporada somos surpreendidos com um novo conceito nos desfiles. Agora se você tivesse a oportunidade, onde gostaria de apresentá-las? Que tal escolher um ponto turístico de alguma cidade? Parece meio impossível? Mas para o J Spring Fashion Show não. Nunca tinha ouvido falar desse evento e, por mais que ele seja realizado em vários lugares do mundo, achei que fosse um evento de moda normal, porém ele tem sim, um grande diferencial. Na verdade toda a sua história é interessante e para contá-la um pouco, que tal começarmos por sua fundadora?
Jessica Minh Anh nasceu no Vietnã, cresceu na Rússia, se formou em negócios na Malásia e concluiu mestrado em marketing no Reino Unido. Na adolescência trabalhou como modelo, porém alega que nunca teve conexões com celebridades e grandes designers, o que a impossibilitou de chegar no auge. Mas isso não a intimidou. Resolveu traçar seu próprio caminho no meio da moda e decidiu investir na área que tanto estudou, unindo a formação acadêmica ao trabalho de modelo. Foi então que surgiu o J Spring Fashion Show, um evento que tem como foco apresentar para o mundo coleções de designers que moram em lugares onde pouco se escuta falar de moda, ou mesmo expandir o trabalho de alguns, tudo isso em instalações um tanto inusitadas, como Torre Eiffel, na França; o topo do One World Trade Center e o Grand Canyon Skywalk, rio Hudson, nos Estados Unidos; Tower Bridge, em Londres; rio Sena, em Paris; as torres gêmeas Petronas, na Malásia; Gardens by the Bay, em Singapura; e o maior navio de cruzeiro do mundo, o Costa Atlântica, em Dubai.
 
jessica1
Gardens by the Bay, em Singapura
 
O evento já chegou à sua nona edição e ao todo cada evento conta com doze designers diferentes. A modelo viaja em busca desses designers e estuda um pouco sua coleção para decidir em qual locação o desfile do designer é feito. Em todos os desfiles é a própria idealizadora que abre e fecha, sem falar que a mesma posa com as peças para as fotos de divulgação do evento. Jessica diz que pretende combinar as culturas de países diferentes num único evento através não somente dos locais selecionados, mas do eclético casting de designers que são de várias partes do mundo. Com isso ela quer proporcionar uma oportunidade que muitas vezes o mundo da moda não oferece. “Esta é uma maneira de sempre me manter no topo, pois ninguém faz o que faço”, alega a modelo, sendo a única a realizar um evento desse porte.

jessica2
Grand Canyon Skywalk, USA


Infelizmente, como em todas as áreas, Jessica sofreu algumas críticas de profissionais do meio e muitos ainda olham seu evento como uma forma de autopromoção. Pode até ser isso mesmo, mas temos que analisar o contexto da situação, pois a moça teve a ousadia de entrar por uma porta que poucos arriscaram a tentar. Assim como outras áreas, a moda também é feita por pessoas ousadas e são elas que fazem o diferencial para ir em busca dos seus sonhos. Talvez precisemos ser como Jessica e enxergar uma oportunidade diante de uma porta fechada. 
 
jessica3
One World Trade Center
 
 
jessica4


Maior navio de cruzeiro do mundo, o Costa Atlântica, em Dubai.
jessica5
Rio Sena, em Paris
jessica6
Rio Hundson, USA

 

jessica7
Torres Gêmeas Petronas, na Malásia

“Acredite no seu próprio trabalho”. Você acredita no seu potencial?  Faça a si mesmo essa pergunta. Se você tem essa confiança, que tal ver o que lhe impossibilita de chegar lá? Essa poderia ser mais uma de minhas próprias ideias para motivá-los a ir longe, mas por que não fazer diferente? Na verdade hoje eu quis lhes apresentar a pessoa que citou a frase inicial desse texto e mostrá-los por que devemos nos inspirar nela. A pessoa que citei se chama Jessica Minh. Ela não teve apenas a ideia. Ela teve coragem. E você, está esperando o quê?

Fotos: Facebook Jessica Minh Anh

Abraços!

Deixe sua opinião

Seu email não será publicado.



*

Seja o primeiro a opinar sobre “Quando o modelo faz sua própria história”.