Há quem diga que a postura que o mercado das modelos tem assumido atualmente anda incomodando muito o time de super modelos como Naomi Campbell, Tyra Banks, Cindy Crawford e entre outras que, não aguentando tudo o que está sendo imposto, acabam desabafando nas redes sociais. Recentemente Tyra Banks usou sua conta no instagram para mostrar como funcionava o mercado na época em que modelava, mas isso não serviu apenas como uma lembrança e sim como uma forma de mostrar o quanto o mercado está exigindo dos profissionais no cenário atual. “As modelos sofrem tanta pressão hoje em dia. Elas têm de ser bonitas dentro e fora do set. Elas têm que chegar no backstage de um desfile com cara e look de quem já está na passarela. Elas têm de ser mais magras do que a magreza. Elas têm de competir com atrizes, músicos e estrelas de reality shows pelas capas de revistas e campanhas. Elas têm que ter toneladas de seguidores nas redes sociais para conseguir trabalhos grandes. E elas têm que postar selfies que façam delas acessíveis, mas não tanto, ou as pessoas vão comentar o que não entendem, como ‘Por que diabos ESSA garota é uma modelo?’”, escreveu Tyra na legenda de seu flashback.
untitled-1

“E no backstage de desfiles eu era isso que você está vendo na foto (acima). Sim, essa sou eu bem jovem, logo antes de um desfile da Yves Saint Laurent, que estava para começar, de tênis, camisa xadrez de flanela e um jeans qualquer. O Sr. Yves Saint Laurent não poderia ligar menos para minha aparência quando eu chegava para seu desfile. Mas quando entrava na passarela, ele esperava excelência. E eu fiz questão de alcançar suas expectativas toda vez que fui escolhida para cruzar essa passarela tão incrível”, continuou, fechando com um abraço em todos os aspirantes a modelos, aos que trabalham atualmente e às super models ao redor do mundo: “Vocês têm muito a cumprir. E eu estou aqui torcendo por você todos os dias. Sejam fortes, garotas!”

untitled-2

Outra modelo que resolveu se pronunciar foi Cindy Crawford, que falou a seguinte mensagem:
“Por causa das redes sociais, essas garotas estão aptas a desenhar suas próprias imagens de uma forma que nós não podíamos”, disse ao londrino Evening Standard. “Mesmo as que estão muito no começo da carreira não são pegas pela forma como as pessoas olham para elas. Alguém como Cara [Delevingne], por exemplo: ela é tão cool por causa da forma que se apresenta nas mídias sociais e tem um relacionamento direto com os fãs.
untitled-3
E digamos que estava até demorando para que convidassem a mais polêmica modelo para dar sua declaração. Lógico que Naomi não fez cerimônia na hora de falar e resolveu também colocar algumas coisas entre aspas. “Eu diria, boa sorte para elas!“, Campbell disse durante uma entrevista ao Meredith Vieira Show. “Só sinto que a minha geração de mulheres, como Cindy Crawford, Linda Evangelista, Christy Turlington, Claudia Schiffer (…) trabalhou duro para chegar onde chegamos e realizar o que realizamos. Eu meio sinto que ‘meu Deus, a gente trabalhou tanto e continuamos trabalhando muito nisso tudo’ (…) Às vezes eu realmente acredito que tudo o que vem fácil vai embora fácil. Eu sou muito grata pela forma que a minha carreira se desenvolveu. Eu não gostaria que fosse de outra forma. Isso é para elas, essa sou eu.”.
 
Se compararmos a forma de trabalho de alguns anos atrás com o cenário atual do mercado dos modelos vamos perceber uma gigante mudança. Chegamos até a entender um pouco a comparação e à crítica  dessas modelos, mas não precisamos ser especialistas no mercado para entender que os meios são outros. Realmente é muito mais válido se treinar durante anos a carreira de um modelo que dure por muito tempo no mercado ao invés de simplesmente jogá-lo ali para durar apenas algumas temporadas, principalmente se ele chegou devido a números de seguidores e curtidas nas mídias. Porém a tecnologia está aí, as maneiras de nos comunicamos são outras e com isso o ambiente social se torna diferente.
 
 Antes um modelo se tornava famoso por suas campanhas e caía no gosto das pessoas que o consideravam talentoso e desejável, entre outras coisas. Hoje os papéis se inverteram: ao invés de ‘gostos,’ são likes e seguidores que formam a popularidade deles e logo se tornam os principais rosto das campanhas. Afinal, as marcas hoje procuram mais do que um rosto – elas procuram pessoas que exerçam influência no público e com isso possam trazer o devido retorno,  uma grande jogada para a marca que será vista por aquele número de seguidores que o modelo possui, alcançando assim um novo publico para si. Não que as modelos com muitos anos de experiência não tenham exercido essa influência. Claro que sim. Mas a maneira como isso acontecia é bem diferente da de hoje. Antes não se tinha um acesso tão direto a essas profissionais como agora, por meio das redes sociais, onde alguém pode passar do anonimato para o mundo das celebridades da noite para o dia.

 Esse novo segmento foi adquirido pelas maiores agências do mundo, Next e IMG, que estão cada vez mais à procura desses itbboys e itgirls, mas ainda se leva em questão o padrão exigido no mercado. Por isso, algumas marcas e revistas optam por celebridades, devido ao público já conquistado, mas hoje modelos podem sim se igualar a celebridades. Eles se tornam desejáveis sem precisar de anos de planejamento de carreira, e isso é resultado da velocidade com que as coisas estão acontecendo.
Abraços!

Deixe sua opinião

Seu email não será publicado.



*

Seja o primeiro a opinar sobre “Modelagem ontem e hoje: diferenças que motivam e assustam”.