Facebook Instagram Twitter Tumblr Youtube
A cada ano fica mais claro que dificilmente a moda esquecerá da geração de modelos que alcançaram o topo de super modelos ou ícones da indústria. Não é à toa que depois de anos muitos ainda são escalados para grandes campanhas e aparições nas passarelas. A cada ano somos surpreendidos com o retorno de alguns deles e não pense que somente as mulheres são beneficiadas nesse mercado, pois a indústria masculina também preserva seus super modelos e muitos ainda continuam a todo vapor no mercado fazendo grandes trabalhos, mesmo que a idade já tenha chegado.
Por mais que muitos anos tenham se passado eles continuam sendo ícones, porém atualmente poucos conseguem entrar nessa lista, pois para se chegar a esse patamar é necessário um trabalho árduo e bem construído não só pelo modelo, mas toda a sua equipe trabalhando para que sua imagem permaneça no mercado. A profissão modelo assumiu uma postura de mercado reciclado, o que os torna rostos descartáveis, tendo apenas uma ou algumas temporadas de fama e sendo depois esquecido nas prateleira de suas agências. Porém, esse novo segmento não afeta a classe de super modelos como podemos perceber, afinal, a cada ano eles ficam cada vez mais valorizados.

tonyward1

Tony Ward, um dos rosto mais antigos que ainda continua ativo na moda.
Personalidade e insistência são duas características que infelizmente muitos modelos da atualidade não têm, principalmente insistência, pois esse mercado é difícil e mesmo tendo alcançado um lugar no meio de tantos, as dificuldades ainda irão surgir. E dessa maneira muitos não conseguem aguentar. Não critico seus motivos para desistir, mas pense em como eram as coisas anos atrás sem a ajuda da internet e das redes sociais onde todas as informações se propagavam muito mais lentamente! Era mais difícil, não era? Acredito que naquela época o mercado dos modelos era bem mais cruel do que nos dias atuais, quando leis passaram a ser vigoradas. Mesmo assim tivemos modelos cuja carreira sobreviveu a tudo isso eles continuam atuando até hoje.
scott
Scott Barnhill é um dos rostos que sempre aparece no desfile da Versace e fez sucesso nos anos 90.
O mercado se ampliou e hoje não existe um biotipo específico de modelo, cada um se encaixa em um segmento de mercado. Magro, bombado, atlético, tatuado, alto, baixo, loiro, moreno, ruivo, cabelo colorido, exótico, bonito, o mercado se ampliou e tem aumentado cada vez mais para atender a todos os públicos, mas quanto maior ele fica, mais difícil fica se destacar, pois cada um tem algo de especial que poderia lhe levar ao topo. Realizar o sonho de desfilar para Giorgi Armani ou Dolce e Gabanna (sonho de todo garoto que entra para a modelagem) não é tão difícil. Em média são colocados para desfilar nas passarelas dessas grandes casas 90 modelos, então com certeza em um casting a concorrência deve ser altíssima, mas por base na quantidade selecionada você poderá ter 45% de chances de pisar nelas. Lembrando que isso é só uma teoria, claro que na prática as coisas não são tão simples assim. E em relação às campanhas lançadas por essas marcas, o que dizer? Bom, para elas muitas vezes são selecionados no máximo 5 modelos  (é normal acontecer de ser apenas mesmo 1), então vemos todas essas chances diminuírem drasticamente, tornando-se um degrau quase impossível de ser alcançado. Porém, vale ressaltar que há quem consiga se sobressair no meio da multidão e estampar a campanha, porque possui aquele diferencial do qual estamos falando, que é o que conquista os diretores de casting.
E você, já se perguntou o que te faz único? O que você possui de especial que faz as agências brigarem por você? De acordo com pesquisa recente foi constatado que em media 2500 modelos entram em contato com agências em São Paulo, é muito modelo para ser escolhido, então é aí que eu te pergunto: qual é o seu diferencial? O que te destaca no meio da multidão? E não responda beleza, porque isso existe de sobra nesse mercado. Deu pra perceber o quanto a concorrência é altíssima? Não se engane, nessas perguntas não estou me privilegiando, também estou incluído nisso, pois ainda não cheguei lá, então preciso saber o que me faz diferente dos demais, o que eu tenho que pode me levar a ser um grande modelo. Se pudermos fazer uma comparação, esse mercado é como um jogo de futebol para o qual é necessário um técnico, um bom jogador e uma estratégia de jogo.

Como minha mãe sempre diz, uma pessoa tem que saber entrar e sair de um lugar, então, caro modelo você tem que estar preparado para entrar na sala de casting e fazer seu show. Caso receba um não, saiba sair de cabeça erguida, pronto para o próximo, pois o que eu vejo de modelo dando ataque de estrelismo logo na entrada e na saída de casting é de fazer com que agências internacionais nem queiram mais contratar modelos brasileiros. De um jeito ou de outro, valorize-se. E preservar a sua imagem faz parte.

Abraços!

Deixe sua opinião

Seu email não será publicado.



*

Seja o primeiro a opinar sobre “Mercado em transição: o ontem e o hoje da vida de modelo”.