Facebook Instagram Twitter Tumblr Youtube

Todos os posts sobre Datas Especiais
Por Daniel Saraiva em 30 de dezembro de 2016

Diante de todas as dificuldades que vivenciei ao longo do ano, reaprender sobre a vida foi a melhor delas. Descobri que momentos ruins não vêm em nossa vida apenas uma vez, mas que logo após a tempestade coisas boas virão. Tudo isso acaba se tornando um ciclo que nunca deixa a vida entediante, e sim cheia de aventuras.

Não cumpri metas e tracei objetivos, mas assim como todo mundo esperei coisas boas de 2016. Se elas chegaram? Não da maneira como eu gostaria e em alguns casos vieram de uma forma diferente, mas foi isso o que tornou tudo melhor: o fato de não ser o esperado. Confesso que dificilmente esquecerei algumas coisas que 2016 me proporcionou, que foram bem desconfortáveis inclusive, mas preciso seguir em frente e deixar para trás essas experiências ruins. Não quero ficar com acúmulos de passado e nem de futuro, quero viver o presente e por mais um ano não traçarei metas e nem objetivos, farei o que for possível com as oportunidades que me forem dadas e com as portas que serão abertas no meio da caminhada. Isso não é ser acomodado, mas sim evitar criar expectativas em cima de coisas que nem sempre podemos realizar, mas que insistimos em colocar em listinhas fúteis que no final só nos levam a uma grande frustração.

Vale ressaltar que pretendo explorar outros rumos, sinto que 2017 será um capítulo muito diferente de tudo o que já vivi, só não sei ainda se isso será bom ou ruim, apenas falo com base nos acontecimentos que a vida me trouxe nesse finalzinho de 2016 e que terão continuidade em 2017. Se estou nervoso? Demais, sinto a continuação de uma história, porém de uma maneira totalmente nova.

Pretendo aprimorar cada vez mais os projetos que estão em aberto e lógico que o blog está incluído nisso, daqui a pouco completaremos 6 anos e quero investir cada vez mais neste espaço, que foi o que me ajudou a me encontrar. Quero poder viver mais meus sonhos e seguir caminhos diferentes, e tudo isso começará a acontecer a partir de 2017. Se você estiver curioso com o que virá, terá que continuar acompanhando o Garoto in Foco, lendo os posts, vendo a fan page e dando aquela curtida, afinal o Facebook dá prioridade em visualização a quem está sempre interagindo com a página.

Bom, finalmente chegamos ao fim da Retrospectiva e fica difícil fechar a porta de 2016, mas farei o seguinte: irei na frente e deixo vocês a serem os últimos a sair e fechar a porta. O por quê disso? Porque sei que vocês ainda querem ler e reler mais alguns posts por aqui, então eu deixo vocês à vontade e ainda tenho a oportunidade de recepcioná-los em 2017, certo? Fiquem à vontade, a casa é de vocês, apreciem cada momento que este espaço produziu ao longo deste ano, pois são experiências pessoais, mas compartilhadas com muito carinho para ajuda-los da melhor maneira.

Muita alegria, paz, sonhos realizados, conquistas, e todas as boas energias a todos vocês.

Um forte abraço e que venha 2017!

Por Daniel Saraiva em 29 de dezembro de 2016

Estamos chegando na reta final da nossa Retrospectiva e o sentimento de saudade já começa a aparecer, afinal viver tudo isso novamente para fazer uma série de posts dá uma nostalgia tão boa que acabamos nos dando conta de que algumas vezes nem lembramos de quão maravilhoso foi viver tudo aquilo. Por isso acredito na importância de relembrarmos o que aconteceu durante o ano, para valorizar os nossos esforços e ganhar forças para o próximo.

Muito se falou por aqui sobre identidade pessoal e não foi à toa, pois esse ano foi aquele em que minha ficha caiu e percebi que merecia colocar mais de minha personalidade dentro do meu estilo, sair da zona de conforto de vez em quando e procurar inovar. Mas para fazer isso é necessário mudar? Nem sempre, no meu caso o que fiz foi reaproveitar.

r5

Esse ano repensei a importância de uma compra de roupa e passei a reparar bem mais no impacto que a compra pode causar ou mesmo de onde vem a sua criação, qual é a sua origem, desde a matéria-prima do tecido, passando pelo processo de fabricação até chegar na loja. Confesso que fiquei chocado com o que descobri em relação a algumas marcas e inclusive parei até mesmo de consumir seus produtos. Com isso dei uma freada nas minhas compras que estavam se tornando mensais para optar por um consumo mais consciente, onde avalio bem a peça antes de levá-la e observo bastante detalhes como preço, origem, material, marca, fabricação e o mais importante: se realmente preciso dela. Juntando o consumo consciente com a busca pela identidade pessoal passei a reaproveitar o que já possuía, nada mais de compras, apenas usar e ousar do que já estava inserido no meu guarda-roupa.

r6

Se foi uma tarefa fácil? Nem pensar, afinal toda transição tem seus altos e baixos e um processo de adaptação, mas que você vai aprendendo muito. Na verdade, aprendi que moda é mais comportamento do que roupa e essa é uma das lições mais valiosas. Nessa identidade Garoto in Foco procurei criar uma essência minha de me vestir, um estilo que se encaixasse no que eu era, e que me reaproveitasse, sem precisar construir uma nova imagem, mas trabalhasse a que já existia. Então percebi que uma das maravilhas da vida é justamente isso: saber reaproveitar o que já se tem e a partir daquilo construir algo bacana. Quanto ao resultado, continuei sendo um garoto que mantém um diferencial na maneira de se vestir, mas que não sai mais comprando tudo o que vê por aí. Na verdade eu percebi a diversidade de combinações, reformas e customizações que podem ser feitas a partir do que já temos e cá entre nós, essa foi uma das melhores descobertas.

Continua…

Por Daniel Saraiva em 28 de dezembro de 2016

Após cinco anos de constante busca por uma identidade que sofria frequentemente adequações e modificações, fica a pergunta: será que há espaço para mais mudanças? Sim, sempre. Independente da época, elas sempre serão bem-vindas no meu cotidiano. A insegurança, claro, ainda está presente, mas de vez em quando é necessário optar pelo novo ou, melhor dizendo,‘renovo’.

Depois de ingressar na carreira de modelo e criar este blog decidi que era o momento de dividir minha vida em três partes: modelo, blogueiro e pessoal. Porém, sempre procurei fazer com que ambos caminhassem em constante equilíbrio. Até comentei com alguns amigos que não gostaria de ser um modelo que tinha blog ou um blogueiro que fazia trabalhos de modelo, quero ser conhecido como modelo e blogueiro, já que me incomodava muito o fato de ver situações muito comuns de blogueiros que supostamente se intitulavam modelos e de modelos que resolveram criar um blog para dar um “up” a mais na carreira – o que acaba fazendo com que uma área pesasse mais que a outra. Decidi que na minha vida quero manter um equilíbrio, para que tanto uma área quanto a outra possam ser trabalhadas com a mesma qualidade.

Foi aí que percebi que estava caindo no mesmo erro ao qual condenava: me mantendo focado na minha imagem e em trabalhos de modelo, enquanto os de blogueiro eu adiava e deixava em segundo plano. Não foi fácil trabalhar a imagem de blogueiro, não podia criar algo novo, tinha que ser algo que fosse aprimorado, uma renovação, sabe? E foi pensando em melhorar meu blogfólio que as oportunidades começaram a aparecer.

r3

Participei de três editoriais para o @blogentreeles, sem falar do editorial exclusivo para o meu blog, que contou com a participação de um grande amigo, o Valdeir Silva, que conheço desde o início da modelagem. Os Photo Shoots ficaram cada vez mais produzidos e os resultados cada vez melhores, inclusive um deles foi para uma série fotográfica de inspirações que o @hugodigenario montou para o seu blog. Também participei da campanha cápsula da marca @estilom.cost juntamente com alguns modelos e instaboys. E não tinha como esquecer a colaboração que fiz para a @MillyumCosméticos com seus produtos maravilhosos e a colaboração para a marca internacional @Zaful, que foi uma grande oportunidade e que me abriu portas muito maiores dentro da marca (inclusive vocês ficarão por dentro no próximo ano).

r4

Acredito que as coisas acontecem no momento certo, pois justamente nesse período de renovação da minha imagem como blogueiro tive complicações com o layout do blog e por isso mais uma vez acabei optando por uma mudança. E que mudança, não é mesmo? Mas que para ser sincero tinha tudo a ver com esse novo momento que o blog está passando. Porém, antes mesmo de todas essas coisas maravilhosas acontecerem, outras não menos importantes movimentavam a minha vida de blogueiro, como ser destaque de algumas mídias digitais importantes, entre elas o Tribuna do Ceará, a Revista Ozten e a Men Style Fashion.

Fora do blog tive realizações ótimas que compartilhei com vocês, como a etapa concluída da reforma do meu quarto, que na verdade irá passar por outra etapa (e, claro, mostrarei aqui). Outra coisa bacana é que me presenteei com duas viagens para descansar um pouco e espero que em 2017 essa frequência de pé na estrada possa aumentar. Ah, não poderia esquecer!  Junto com meus melhores amigos @hugodigenario, @biagentefina e @luhmaiia87 conseguimos realizar nossa primeira confraternização de blogueiros, algo só nosso e feito com muito carinho (que inclusive já queremos repetir). E no fim das contas, de todo o trabalho, o empenho e a satisfação do resultado, uma das melhores sensações é a de poder trabalhar ao lado de amigos que, independente de tempo, permanecem ao meu lado.

Continua…

Por Daniel Saraiva em 27 de dezembro de 2016

Apesar da palavra mudança aparecer muito por aqui, não foi ela que definiu tudo que aconteceu durante 2016. Na minha profissão de modelo o que melhor definiu toda a transição deste ano foi reinvenção, pois uma das coisas que mais busquei foi sair da rotina a qual estava acostumado e me reinventar, mas a partir de um Daniel que já existia.

Trabalhar como modelo é estar em constante aprendizado, mesmo já estando há anos no mercado. Cada trabalho tem sua particularidade, tornando-se sempre um novo desafio e através disso aprendi esse ano que nunca chegaremos a um novo trabalho manjando 100% dele; haverá insegurança e nervosismo, como foi o caso do editorial para a Revista Estourada, que me fez ficar tão nervoso ao ponto de me tremer bastante na hora das fotos.

O mercado daqui tem dificultado cada vez mais trabalhos para modelos que não possuem agência e nem preciso citar o quão isso foi difícil para mim, que continuo sem uma. Mas agradeço a Deus pelas oportunidades, pois todas foram muito valiosas, oportunidades essas que acredito que nem todo modelo sem agência conseguiria. Olhando para meus trabalhos de 2015 pude ver o quanto meu portfólio cresceu bastante em 2016, pois surgiram oportunidades muito melhores e todos foram trabalhos que considero realmente muito bons.

r2

Uma das coisas que aprendi este ano foi que não é difícil trabalhar para uma marca que você gosta, difícil mesmo é você conquistá-los para ser escolhido outra vez. Foi o que aconteceu com a Atto Favo, onde tive o prazer de participar somente esse ano de cinco campanhas, incluindo cápsulas, resort e oficiais. A cada trabalho tinha que me reinventar e esquecer da proposta que foi pedida na anterior.

E com essa reinvenção tive meu primeiro contato com a revista Ozten, que depois de ter feito uma aparição, me rendeu um editorial, onde pude conhecer outros profissionais não só da minha cidade, mas de fora dela também.

Muitos foram os trabalhos que fiz com meu amigo @hugodigenário, é uma amizade e parceria que ultrapassa a vida pessoal e profissional. Nosso contato profissional foi reinventado de uma forma que por mais que fosse sempre ele a me fotografar, tínhamos como objetivos nos desafiar cada vez mais e por conhecermos bem um ao outro, ficou mais fácil trabalhar nas falhas e aprimoramentos que o outro precisava. O resultado? Trabalhos que abriram portas cada vez maiores para nós. Assim, profissionais que acreditavam na força conjunta do nosso trabalho chegaram a nos deixar à frente de tudo em algumas campanhas para decidir como faríamos e quem nos ajudaria. Para quem começou o ano condicionado a trabalhar apenas com base naquilo que era solicitado, ter a liberdade de criar e decidir a partir disso mostra o quanto desenvolvemos o nosso poder de nos reinventar.

Continua…